domingo, 15 de dezembro de 2013

Ode aos caderninhos


 

Fim de semana passado foi o momento de tentar por ordem nos caderninhos. Nos fundos aqui da casa tem uma peça cheia de tralhas minhas que meus pais juntaram aleatoriamente e, depois de muito me enrolar, decidi começar a arrumar minhas coisas e já ir separando o que fica e o que vai. Enfim, fui ao resgate dos caderninhos! Eu jurava que tinha zilhões deles, mas quando fui empilhar todos, o que se formou foi uma modesta (PORÉM DIGNA) pilha. Isso que ainda inclui os caderninhos em branco, que não são poucos...


A minha memória é realmente muito esquisita. Várias vezes eu conversei com o Marcelo sobre lembranças da época da infância e ele conseguia me relatar bem claramente vários fatos que aconteceram, o que não é meu caso. Diz ele que só dessa época, mas acredito que com certeza tem uma memória muito melhor que a minha. Eu lembro quase nada ou muito pouco de várias coisas. A cada ano piora. E se eu te disser minhas lembranças até da época da faculdade vão ficando cada vez mais vagas? Ou as de 2010/2011? Pô, foi logo ali! Deve ser porque eu passo tanto tempo me preocupando e noiando com coisas que podem acontecer que minha cabeça dificilmente se concentra no passado. Mas meus caderninhos tão aí pra preencher minhas lacunas.

Dizem que têm gostos que trazem lembranças (a cuca que a vó fazia, o feijão da mãe), cheiros que ativam a memória, mas no meu caso são meus caderninhos: são eles que trazem a tona diversos ~sentimentos~. Só de olhar determinados desenhos eu lembro direitinho do momento em que eu os fiz, do que se passava na minha cabeça naquela hora e até mesmo que música eu estava ouvindo durante. Música que é claro a inspiraçã das inspirações, eu até tenho um caderninho só com desenhos e trechos de letras de música. Ele ainda tá pela metade, então outros desenhos virão.




Caderninhos ~temáticos~ são meus vícios. Eu tenho toc de separá-los por tema, um estilo específico que quero treinar, etc. São caderninhos de épocas e estilos específicos, tipo esse:

 Why does it always rain on me?



Ou esse:



Ou ainda esse:




Teve ainda uma época em que eu comecei a fazer um bloquinho/agenda que eu usava pra colocar os compromissos e desenhar todos os dias. Deu um resultado bem bacana...





Mas pena que não durou muito (ou ainda, da minha mania de deixar tudo pela metade).


De qualquer maneira, ainda tenho vários deles com páginas em branco e tantos outros que nem se quer foram tocados. Muitos foram presentes e tem capas tão lindas, dá até que pena de desenhar mal e ~estragar~ os bloquinhos...



Mas afinal é pra isso que eles servem mesmo, né? São praticamente os ~guardiões~ dos meus rabiscos, desde aqueles mais elaborados até os desleixados, cansados e tristes, que caíram no papel quando a voz falhou.

...e são eles que guardam bem a lembrança de diversos momentos que eu não quero correr o risco de esquecer.


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

doodles




Quem começa a assistir a Breaking Bad e não se vicia, algum problema deve ter... Esse foi inspirado no famigerado desenhinho do Heisenberg <3 Ainda tenho medo de que a ideia tenha surgido de algo que vi, porque eu tenho síndrome de Pestana (aquele mesmo do Machado de Assis), ou ainda síndrome de Pierce, compondo sua originalíssima canção para Greendale (Community <3)

~LOOK DO DIA~/DA SEMANA/DO MÊS/DA VIDA
Pijaminhas for life.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013